top of page
  • Foto do escritorJornal O Cola

The desperation of the desperate desperately despairing for this desperation to heal

Texto de Sofia Lopes
Editado por Inês Cândido

Sentes-te ansioso pela crise imobiliária que o nosso país atravessa? Morres de preocupação por, embora estares a licenciar-te, teres de viver em casa dos teus pais até aos quarenta anos? Sentes-te reconfortado pelas redes sociais, apesar do mundo lá fora estar a arder? Não te preocupes, porque a Wasted Rita, artista e ilustradora portuguesa, sente o mesmo.


Inaugurada a 31 de março e aberta ao público até 27 de maio, na Galeria Underdogs, em Lisboa, a exposição “the desperation of the desperate desperately despairing for this desperation to heal” (em português, “o desespero dos desesperados que desesperadamente desesperam para que o desespero passe”) contagia qualquer elemento pertencente à Geração Milenar e à Geração Z da sociedade global. Concebida totalmente em inglês, a artista portuguesa chega a todos os jovens através de referências do TikTok, como o poder da manifestation (manifestação), o termo desinfluencing (desinfluenciar) e toxic positivism (positivismo tóxico). Com alguma acidez e algum sarcasmo – toques comuns nos trabalhos de Rita Gomes -, a artista explora diferentes maneiras de transpirar as suas frustrações, desde frases escritas em pedaços de papel soltos a letreiros néon.


À medida que olhamos para os seus quadros, vamos obtendo algumas dicas sobre o que inspirou Wasted Rita: a crise imobiliária em Lisboa. De todas as ilustrações, uma delas reflete perfeitamente o estado atual da capital portuguesa, seguida por um curto texto: “the year was 2023… when everyone started understanding why city centres existed. Locals could finally understand that historical city centres were invented to give place to trendy boutique hotels, short-term homestays, funky-looking restaurants and cafés that then can host tourists, expats and influencers so they can be served content.”


Tendo sido expulsa de casa duas vezes em menos de dois anos pelo seu senhorio, Rita encontrou no TikTok e em reality shows, tais como Love is Blind e Survivor, um escape da realidade lá fora. Por ter encontrado conforto neste tipo de conteúdo e por saber que a opinião geral sobre os mesmos pende para o negativo (aliás, quantas vezes não ouvimos dizer que ver reality shows é “degradante”? Que as pessoas deveriam aproveitar o seu tempo livre a ler ou ver algo “digno”?), a artista decidiu provocar o cânone artístico e os reality shows, as micro-obsessions (micro-obsessões) e as trends do TikTok como inspiração para as suas criações.


Na minha ótica, uma exposição a não perder, pois, para além de ser gratuita (e nós adoramos tudo o que seja gratuito), conquista qualquer um de nós – filhos de um mundo digital. Caso a tenhas perdido, não desesperes. Ficas a conhecer a sensação contemporânea que é Wasted Rita, uma artista regular na Galeria Underdogs, que se localiza a menos de cinco minutos a pé da estação de comboios de Braço de Prata, e és capaz de conseguir ver mais exposições ácidas, irónicas e trendy como esta.



12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Nosso Último Beijo

Aviso: referência a suicídio e automutilação Nota: ler ao som de Ceilings, de Lizzy McAlpine. Ali, com a Eva, o Chris sentia-se em paz. Já há duas horas que estavam sentados naquele velho banco de mad

Our Last Kiss

TW: self arm, suicide Note: read while listening to “ceilings” by Lizzy McAlpine Chris felt at peace, there with Eva. They had been sitting on that old wooden bench for the past two hours. Eva had jus

pedir permissão

estava a andar na rua e senti o cheiro do teu perfume. e foi aí que a minha mente mergulhou naquele dia em que estávamos deitados num jardim a trocar beijinhos e caretas enquanto um céu de mil cores s

Comments


bottom of page